quinta-feira, 21 de julho de 2016

Dicas para decorar a casa com espelhos



O espelho é um dos poucos acessórios unânimes da arquitetura: combina com todos os estilos de ambientes e cai bem em cômodos de todos os tamanhos. Cores e texturas também não são um problema.

O recurso traz a sensação de amplitude para os ambientes e ainda esconde o que não precisa ser mostrado – como uma viga ou coluna fora do lugar.
Para ganhar destaque, o segredo está na moldura e na dimensão. Quanto maior a peça, melhor – especialmente quando a intenção é aumentar o ambiente. 



Veja dez dicas para usar esse elemento na decoração da sua casa:

1 - Integre o estilo da moldura ao do cômodo. Espelhos são um ótimo artifício para decorar porque são o tipo de peça que se adapta perfeitamente ao ambiente, independentemente da cor ou do estilo.

2 - Use para aumentar o espaço. Colocar um espelho que ocupe a parede toda é uma tática eficaz para dar ideia de amplitude.

3 - Coloque espelhos nas portas dos armários. Ótima solução para quem não tem espaço. O acessório não precisa ficar na porta de dentro, pode ser colocado na porta de fora também. Mas é preciso ter cuidado com a instalação para que a peça não se solte.

4 - Use em móveis como variação do vidro. Mas cuidado para o visual não ficar exagerado: é só não carregar muito nas cores e texturas do resto da decoração.



5 - Use vários fragmentos em vez de uma peça única. O espelho pode ser cortado em diferentes tamanhos, na vertical ou na horizontal. É mais para propósito decorativo, dá uma ideia de movimento.

6 - Combine peças diferentes. Você pode colocar um painel ocupando uma das paredes e instalar uma peça menor, com uma moldura elaborada.

7 - Espelho dentro de espelho também vale. Seja em duas peças sobrepostas ou em uma peça trabalhada. Quando não há moldura de madeira, é possível desenhar uma moldura no espelho com recortes e relevos. Não fica pesado.



8 - Espelhos no hall de entrada. Esse recurso ajuda a dar vida a um canto sem graça como o hall de entrada. Não toma muito espaço e é providencial para um retoque final antes de sair de casa.

9 - Invista em um espelho no corredor. O acessório substitui um quadro e dá noção de profundidade.



10 - Dê um up no espelho do banheiro. No banheiro, ele é item básico – mas seu estilo não precisa ser básico. Pode-se caprichar na moldura ou num detalhe bisotê , uma espécie de borda em baixo relevo. E quem não gosta das luzes “de camarim” em volta da peça pode optar por um arranjo mais romântico.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Aplicativo ajuda no planejamento de reformas e construções

Por Gabriela Seabra - Arquiteta

Um dos grandes medos na hora de reformar ou construir é saber calcular o quanto vai gastar. Toda obra sem planejamento prévio e acompanhamento de um profissional capacitado, no caso o arquiteto, está sujeita a ter grandes imprevistos geradores de custos extras, e com isto muitas pessoas acabam extrapolando o orçamento previsto. 
O primeiro passo para uma obra bem sucedida é ter o projeto arquitetônico em mãos. A partir do projeto com as metragens pré-estabelecidas é possível calcular o quanto de material a ser gasto, evitando possíveis desperdícios com cálculos baseados em pressuposições. 


Associada ao projeto uma ferramenta bastante útil na hora de ter uma noção de quanto irá gastar em uma obra é o aplicativo Reforma Simples.
O aplicativo está disponível gratuitamente para Android e iOS e permite obter uma estimativa da quantidade de materiais a ser gasto em qualquer parte da obra da construção civil, oferecendo também uma somatória final de todos os materiais a serem gastos.  Para posterior cotação de preços e compra, o relatório fornecido pelo aplicativo pode ser salvo no próprio aparelho móvel ou enviado via e-mail. 

Contato:
Gabriela Seabra Arquitetura
(34) 9 99579978gabrielaseabra.arq@gmail.com

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Energia solar reduz custos e valoriza o imóvel; Veja os benefícios



Você já pensou em receber a conta de luz no fim do mês e pagar apenas a taxa mínima? O sol é uma fonte limpa e inesgotável de energia e, hoje em dia, já é viável gerar energia elétrica através desta fonte na sua residência, comércio ou indústria.

Mas por que optar pela energia solar?




Sustentabilidade
A energia vem de uma fonte inesgotável (o sol) e não-poluente, sem emissão de CO2.

Contribuição para o sistema elétrico brasileiro
Ao trazer a geração para mais próximo do consumo, a geração solar distribuída contribui para o sistema elétrico já que pode evitar a necessidade de reforços em linhas de transmissão e distribuição.

Previsibilidade
Como a fonte energética é inesgotável e a durabilidade dos equipamentos pode chegar a mais de 25 anos, a instalação de um sistema de energia renovável funciona como uma compra antecipada de energia, permitindo previsibilidade no custo. Uma vez que o aumento constante dos preços de energia elétrica é uma realidade, a microgeração de energia se torna a melhor opção.



Valorização do imóvel

Investir em energia solar pode ser uma alternativa para se diferenciar no mercado e valorizar o seu imóvel. Esteja ele disponível para venda ou locação.


Manutenção mínima
O sistema solar conectado a rede não possui partes móveis, engrenagens ou motores. Por isso, a manutenção se restringe à verificação de conectores e equipamentos, e a realização de limpezas anuais, quando houver acúmulo excessivo de poeira ou resíduos. A própria água da chuva já se encarrega de uma limpeza recorrente.

Economia
A partir da instalação de uma planta solar fotovoltaica, a redução na conta de energia é instantânea.

Mas para que o sistema funcione perfeitamente e você consiga ter o máximo de aproveitamento é importante pesquisar bastante, antes decidir por qualquer empresa. Informe-se, veja trabalhos anteriores e tire todas as suas dúvidas com um profissional qualificado antes da instalação.
Depois disso é só aproveitar os benefícios desta energia limpa e inesgotável.

Fonte: Pratil
Conteúdo: Kompleta Comunicação

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Como escolher o revestimento ideal para sua cozinha



Quem está reformando ou construindo, sabe bem o que quer em cada ambiente: que tudo fique perfeito, com a sua marca em cada detalhe! Pensando nisso, se você é uma mulher ou homem que adora cozinhar, sabe que a cozinha precisa ter um cuidado todo especial para ficar linda com todos os revestimentos que você escolher.

Para o piso ou o azulejo, veja algumas dicas de como você pode deixar sua cozinha maravilhosa com ideias práticas e legais para sua cozinha ficar perfeita em todos os sentidos. Veja como escolher o revestimento ideal.



Azulejos, pedras e pastilhas de vidro

Os azulejos, as pedras e as pastilhas de vidro, são os tipos de revestimentos mais comuns usados para revestir as paredes da cozinha de sua casa. As pastilhas de vidro, por exemplo, podem ser colocadas na cozinha toda ou apenas em alguns pontos como um desenho ou um revestimento básico junto com os azulejos.

O azulejo é o tipo de revestimento mais comum. As cerâmicas tanto podem ser de tamanhos pequenos como os antigos, assim como os grandes e com desenhos como os mais atuais. Os azulejos são feitos de cerâmica e assentados com argamassa própria como as cimentícolas.

A pedra, é geralmente usada em cozinhas externas pois geralmente sua cor mais escura e também seu desnivelamento natural, acaba não dando opções de uso nas paredes como por exemplo, o uso de armários planejados que para estarem fixos completamente, precisam de revestimentos lisos e uniformes.



Revestimento de Madeira

O revestimento de madeira é mais comum para salas de jantares e áreas externas, mas na cozinha, este revestimento pode mudar o visual completo do cômodo e torná-lo muito mais aconchegante. O revestimento de madeira é considerado um dos mais glamourosos quando o assunto é decoração. O cuidado essencial é com os tipos de madeiras, não misturar muitas madeiras diferentes, e com as cores, para não sobrecarregar o ambiente.



Porque a cozinha precisa de revestimento?

A cozinha é uma área onde há muito uso de água e vapor, e portanto esses dois pontos podem comprometer com o tempo, as paredes do local. Outro ponto é que facilita a limpeza e deixa o ambiente mais claro e bonito. Por isso é importante que você faça o revestimento de sua cozinha, se não toda ela, pelo menos nas áreas molhadas como pia e em locais como fogão que com o revestimento, no caso de incêndio, propaga menos o fogo.



Nada Básico



quarta-feira, 22 de junho de 2016

Antes e depois - Inspirado pelo patchwork o banheiro ficou de cara nova

Por Gabriela Seabra - Arquiteta


Na hora de reformar ou construir, a preocupação é sempre a mesma. Como planejar um ambiente funcional e elegante sem gastar muito? A resposta é muito simples.
Neste caso a preocupação não era apenas aparente, após uma análise prévia foi diagnosticado problemas de infiltração. Então a reforma foi completa sendo refeito toda a parte hidráulica, instalação de sistema de aquecedor solar e a troca do revestimento.
Durante uma análise prévia, foi possível perceber que o encanamento havia várias emendas inapropriadas causadoras de infiltração, então toda a parte de encanamento foi refeita além da troca da válvula de descarga por uma que gastasse menos água e troca da bacia sanitária. Visando um retorno em longo prazo o proprietário, sob orientação do arquiteto, aproveitou a oportunidade e instalou o sistema de aquecedor solar para o chuveiro e lavatório.

Tendo os problemas técnicos solucionados a escolha dos revestimentos é a parte mais esperada e divertida, pois é a partir dai que o ambiente começa a ganhar forma e identidade. O mercado atual de material de acabamento é muito amplo e oferece peças com grande oscilação de valores, sendo importante saber nesta hora o quanto está disposto a gastar para não cair na tentação e extrapolar o orçamento previsto no inicio da obra.
Neste caso, além do revestimento o cliente teve um investimento inicial com a parte técnica e instalação do sistema de aquecedor solar, além da construção de uma suíte para o casal, então os custos para o acabamento tiveram que ser reduzidos.

As peças escolhidas para compor os detalhes do banheiro social reformado foi o Revestimento Tessuti Patch (33,8x64,3 Cm) da Ceusa, aplicado dentro do box do chuveiro em uma tira vertical na linha da janela, e recordado em tiras de 20 cm aplicados acima do revestimento branco. O Efeito da peça aplicada em detalhes deu um toque de modernidade e sofisticação ao banheiro, e o mais importante sem extrapolar o orçamento. O valor do revestimento foi cotado entre R$ 85,00 á R$ 150,00 reais por metro quadrado.




Para finalizar a composição dos ambientes para as bancadas e rodapés foi utilizado o Mármore Bege Bahia. A cuba escolhida foi a de apoio redonda da deca em louça branca e torneira de bica alta Monocomando da Deca.
Com planejamento prévio e acompanhamento do arquiteto além, de solucionar problemas técnicos, os banheiros ganharam uma estética moderna e funcional. Além de benefícios em longo prazo, com a escolha de materiais de qualidade, o cliente não extrapolou o orçamento previsto no inicio da obra.   

terça-feira, 14 de junho de 2016

Saiba como escolher a tinta ideal para cada ambiente


Ao pensar em renovar os ambientes na casa, escritório, empresa ou qualquer outro imóvel, a atenção –normalmente- é voltada apenas para as questões estéticas e para os valores dos orçamentos referentes aos custos desse processo, sem dar tanta importância às questões técnicas que o envolvem.

No caso da escolha das tintas, por exemplo, a situação não é diferente, pois normalmente a atenção se volta, principalmente às cores que serão utilizadas, se a tinta tem cheiro forte ou não, e sobre seu rendimento por m².


O fato é que deve se levar em consideração, outros fatores técnicos tão importantes quanto os estéticos ou de custos, como o local onde a tinta será aplicada (ambiente interno ou externo), em que tipo de superfície (alvenaria, emboço, madeira, metal) e sua durabilidade, pois além de proporcionar um acabamento benfeito e duradouro, a especificação correta das tintas pode resultar em economia para a sua obra.

Para uma escolha correta, é preciso verificar a procedência das tintas e se as mesmas estão de acordo com as normas técnicas brasileiras. Por isso, antes de optar por uma marca, é importante verificar se a empresa fabricante faz parte da lista da Associação Brasileira de Fabricantes de Tintas (Abrafati), a consulta pode ser feita pelo site http://www.abrafati.com.br/programas/programa-setorial-da-qualidade/.
Mas mudar um ambiente não precisa ser trabalhoso e nem causar tantas preocupações. Uma simples mudança de cor na parede já pode dar ao seu ambiente a renovada necessária, sem muito segredo. Confira algumas dicas a respeito das tintas utilizadas para a pintura de imóveis:



        1. Uso das cores
O uso das cores na pintura permite inúmeras possibilidades para a decoração do seu imóvel. Veja algumas dicas:
Encurtar o ambiente: para uma sala retangular muito comprida, pinte as paredes menores com uma cor mais escura.
Alongar ambiente quadrado: aplique cor mais escura em duas paredes, uma de frente para a outra.
Esconder objetos: pinte a parede no mesmo tom do objeto que você que esconder.
Destacar objetos: aplique uma cor intensa ou contrastante na parede de fundo.
Rebaixar o teto: pinte o teto com uma cor mais escura do que a das paredes.
Elevar o teto: pinte o teto com uma cor mais clara do que a das paredes.
Alargar corredor: pinte as extremidades do corredor (paredes menores) e o teto com uma cor mais escura do que a das paredes que acompanham o sentido do corredor.
Alongar a parede: nesse caso, é fundamental que a parede seja bicolor, com a divisa entre as duas cores a meia altura (nessa separação, pode-se inclusive aplicar um barrado). Na parte de cima da parede, o tom deve ser mais claro do que a cor da parte de baixo.
Encurtar parede: exatamente a situação inversa do item acima. A parte de cima da parede deve ser de um tom mais escuro do que a cor da parede de baixo.

2. Diferenças de Tonalidade
Existem várias causas que provocam diferença de tonalidade.
Homogeneização deficiente: duas tintas com a mesma cor homogeneizadas diferentemente apresentarão diferença de tonalidade. Certifique-se de que as tintas estejam homogeneizadas adequadamente antes de sua aplicação.
Iluminação do ambiente: duas paredes de um mesmo ambiente, porém com iluminação diferente, apresentarão tonalidades distintas, mesmo sendo pintadas com a mesma tinta, da mesma cor.
Retoques de pintura: frequentemente o retoque da pintura, mesmo quando feito com a mesma tinta, pode provocar uma diferença de tonalidade entre a parte retocada e o resto da superfície. Evite retocar a pintura após 24 horas de aplicação e, quando necessário, repinte toda a superfície (toda a parede, todo o teto etc.).
Tintas da mesma cor, mas de fabricantes diferentes, normalmente apresentam pequenas diferenças de tonalidade. Procure usar tinta de uma só marca em um mesmo ambiente.
3. Os tipos de tintas e suas aplicações
Para paredes de alvenaria: Os principais tipos são as tintas látex acrílicas, tintas látex PVA, tintas vinil-acrílicas e texturas. Em ambientes internos, podem ser aplicados os três tipos de tinta látex – Econômica, Standard e Premium –, cabendo a cada consumidor, de acordo com seu gosto, a escolha da cor e do tipo de acabamento (fosco, acetinado e brilhante). Em ambientes externos (fachadas), em que existe a necessidade de maior resistência, em função do intemperismo, devem ser usadas as tintas classificadas como Standard e Premium. Existem ainda tintas para aplicações específicas, como para utilização em banheiros ou em imóveis no litoral, que têm características apropriadas para esses ambientes.
Tintas acrílicas são um dos tipos de tintas látex: existem tintas látex PVA e tintas látex acrílicas. A principal diferença entre elas é a resina utilizada. As tintas PVA usam acetato de polivinila, enquanto as acrílicas são à base de resina acrílica. Existem ainda as tintas vinil-acrílicas. Muita gente ainda acredita que as tintas acrílicas são indicadas para uso externo enquanto as PVA estão restritas aos ambientes internos, em função de fatores como lavabilidade e durabilidade. Essa informação nem sempre é verdadeira, pois existem tintas acrílicas Econômicas, indicadas apenas para uso interior, assim como tintas látex PVA Standard e Premium, que podem ser aplicadas em fachadas sem nenhum problema.
Para as madeiras (portas, janelas etc.): É sempre recomendado o uso de vernizes, stains, esmaltes ou tintas a óleo, que evitam rachaduras e trincas e as protegem de envelhecimento precoce, desbotamento e deterioração, repelindo a água e combatendo a formação de fungos, além de manter o ambiente agradável. Madeiras em áreas externas, expostas à ação do sol, chuva e maresia, devem receber atenção especial, com vernizes com filtro solar e esmaltes Premium.
A escolha do acabamento para a madeira (verniz, stain, esmalte ou tinta a óleo) depende do gosto pessoal e de fatores como o local de aplicação e o grau de proteção desejado. É preciso destacar que nem sempre a solução tecnicamente mais adequada será a que mais agrada ao cliente, do ponto de vista estético. Da mesma forma, uma escolha feita levando-se conta exclusivamente os aspectos estéticos poderá não trazer a solução para o problema existente.
Em termos de características e de efeitos estéticos, existem diferenças entre os três tipos de produto. Os stains colorem, são sempre foscos, não escondem o substrato e não formam filme sobre a madeira, conferindo um aspecto mais natural e rústico a ela. Já os vernizes podem ser usados, nas versões brilhante e acetinado, para dar um acabamento mais sofisticado, destacando o substrato. Diferentemente dos vernizes e stains, as tintas a óleo e os esmaltes escondem os veios da madeira e a colorem.

Para metais: Os produtos indicados são os esmaltes e a tinta a óleo, tanto para o interior quanto para o exterior dos imóveis.





DRFazTudo - Imagens: Internet

terça-feira, 7 de junho de 2016

Feng Shui no trabalho: Técnica milenar japonesa pode ajudar na organização das empresas



Móveis mal posicionados, equipamentos eletrônicos obsoletos, mesas bagunçadas, atmosferas sombrias, falta de estilo. Um escritório sem personalidade espelha a alma do profissional que o utiliza. mais do que espelhar, o local contagia a própria pessoa com todo o excesso de energia negativa acumulada. Uma das opções para mudar este cenário é o Feng Shui no trabalho.

Os segredos da arte milenar chinesa de organizar espaços, mostrando onde devemos nos sentar em uma reunião, para termos mais controle sobre a situação e obtermos apoio para as ideias, podem garantir o sucesso da empresa. Por exemplo, você sabia que uma boa luminária reduz o estresse, e que é possível melhorar muito as finanças de uma empresa colocando um aquário no local certo, com os peixeis certos!
Sempre deve ser levado em conta as cores utilizadas na empresa. A cor errada pode levar uma empresa a não sair do lugar, já com a cor correta e aplicada nos devidos locais, colaboram fortemente para a prosperidade e solidez. Algumas cores são energicamente frágeis e pode gerar desarmonia no local. 






Adaptando os princípios clássicos do Feng Shui (um deles é o desapego) ao que há de mais moderno em escritório. Assim, com soluções fáceis e práticas, utilização do ba-guá das placas de benção, dos adesivos de radiestesia, cromoterapia, cristais multifacetados, espelhos e quartzos, o Feng Shui prova que a disposição dos móveis em um ambiente de trabalho influi no relacionamento entre os funcionários, facilita promoções e contribui para o sucesso ou o fracasso, de contatos com os clientes.



Independente do espaço utilizado, (empresa ou home office) o consultor de Feng Shui apresentará sugestões para as pessoas que se sentem cansadas antes mesmo de iniciar o dia de trabalho e fará com que aumente a segurança daquelas pessoas que, no começo do expediente, já desanimam só de pensar em todo o serviço que há pela frente.

Texto: Anderson Jorggie - Designer de interiores e consultor em Feng Shui