terça-feira, 14 de junho de 2016

Saiba como escolher a tinta ideal para cada ambiente


Ao pensar em renovar os ambientes na casa, escritório, empresa ou qualquer outro imóvel, a atenção –normalmente- é voltada apenas para as questões estéticas e para os valores dos orçamentos referentes aos custos desse processo, sem dar tanta importância às questões técnicas que o envolvem.

No caso da escolha das tintas, por exemplo, a situação não é diferente, pois normalmente a atenção se volta, principalmente às cores que serão utilizadas, se a tinta tem cheiro forte ou não, e sobre seu rendimento por m².


O fato é que deve se levar em consideração, outros fatores técnicos tão importantes quanto os estéticos ou de custos, como o local onde a tinta será aplicada (ambiente interno ou externo), em que tipo de superfície (alvenaria, emboço, madeira, metal) e sua durabilidade, pois além de proporcionar um acabamento benfeito e duradouro, a especificação correta das tintas pode resultar em economia para a sua obra.

Para uma escolha correta, é preciso verificar a procedência das tintas e se as mesmas estão de acordo com as normas técnicas brasileiras. Por isso, antes de optar por uma marca, é importante verificar se a empresa fabricante faz parte da lista da Associação Brasileira de Fabricantes de Tintas (Abrafati), a consulta pode ser feita pelo site http://www.abrafati.com.br/programas/programa-setorial-da-qualidade/.
Mas mudar um ambiente não precisa ser trabalhoso e nem causar tantas preocupações. Uma simples mudança de cor na parede já pode dar ao seu ambiente a renovada necessária, sem muito segredo. Confira algumas dicas a respeito das tintas utilizadas para a pintura de imóveis:



        1. Uso das cores
O uso das cores na pintura permite inúmeras possibilidades para a decoração do seu imóvel. Veja algumas dicas:
Encurtar o ambiente: para uma sala retangular muito comprida, pinte as paredes menores com uma cor mais escura.
Alongar ambiente quadrado: aplique cor mais escura em duas paredes, uma de frente para a outra.
Esconder objetos: pinte a parede no mesmo tom do objeto que você que esconder.
Destacar objetos: aplique uma cor intensa ou contrastante na parede de fundo.
Rebaixar o teto: pinte o teto com uma cor mais escura do que a das paredes.
Elevar o teto: pinte o teto com uma cor mais clara do que a das paredes.
Alargar corredor: pinte as extremidades do corredor (paredes menores) e o teto com uma cor mais escura do que a das paredes que acompanham o sentido do corredor.
Alongar a parede: nesse caso, é fundamental que a parede seja bicolor, com a divisa entre as duas cores a meia altura (nessa separação, pode-se inclusive aplicar um barrado). Na parte de cima da parede, o tom deve ser mais claro do que a cor da parte de baixo.
Encurtar parede: exatamente a situação inversa do item acima. A parte de cima da parede deve ser de um tom mais escuro do que a cor da parede de baixo.

2. Diferenças de Tonalidade
Existem várias causas que provocam diferença de tonalidade.
Homogeneização deficiente: duas tintas com a mesma cor homogeneizadas diferentemente apresentarão diferença de tonalidade. Certifique-se de que as tintas estejam homogeneizadas adequadamente antes de sua aplicação.
Iluminação do ambiente: duas paredes de um mesmo ambiente, porém com iluminação diferente, apresentarão tonalidades distintas, mesmo sendo pintadas com a mesma tinta, da mesma cor.
Retoques de pintura: frequentemente o retoque da pintura, mesmo quando feito com a mesma tinta, pode provocar uma diferença de tonalidade entre a parte retocada e o resto da superfície. Evite retocar a pintura após 24 horas de aplicação e, quando necessário, repinte toda a superfície (toda a parede, todo o teto etc.).
Tintas da mesma cor, mas de fabricantes diferentes, normalmente apresentam pequenas diferenças de tonalidade. Procure usar tinta de uma só marca em um mesmo ambiente.
3. Os tipos de tintas e suas aplicações
Para paredes de alvenaria: Os principais tipos são as tintas látex acrílicas, tintas látex PVA, tintas vinil-acrílicas e texturas. Em ambientes internos, podem ser aplicados os três tipos de tinta látex – Econômica, Standard e Premium –, cabendo a cada consumidor, de acordo com seu gosto, a escolha da cor e do tipo de acabamento (fosco, acetinado e brilhante). Em ambientes externos (fachadas), em que existe a necessidade de maior resistência, em função do intemperismo, devem ser usadas as tintas classificadas como Standard e Premium. Existem ainda tintas para aplicações específicas, como para utilização em banheiros ou em imóveis no litoral, que têm características apropriadas para esses ambientes.
Tintas acrílicas são um dos tipos de tintas látex: existem tintas látex PVA e tintas látex acrílicas. A principal diferença entre elas é a resina utilizada. As tintas PVA usam acetato de polivinila, enquanto as acrílicas são à base de resina acrílica. Existem ainda as tintas vinil-acrílicas. Muita gente ainda acredita que as tintas acrílicas são indicadas para uso externo enquanto as PVA estão restritas aos ambientes internos, em função de fatores como lavabilidade e durabilidade. Essa informação nem sempre é verdadeira, pois existem tintas acrílicas Econômicas, indicadas apenas para uso interior, assim como tintas látex PVA Standard e Premium, que podem ser aplicadas em fachadas sem nenhum problema.
Para as madeiras (portas, janelas etc.): É sempre recomendado o uso de vernizes, stains, esmaltes ou tintas a óleo, que evitam rachaduras e trincas e as protegem de envelhecimento precoce, desbotamento e deterioração, repelindo a água e combatendo a formação de fungos, além de manter o ambiente agradável. Madeiras em áreas externas, expostas à ação do sol, chuva e maresia, devem receber atenção especial, com vernizes com filtro solar e esmaltes Premium.
A escolha do acabamento para a madeira (verniz, stain, esmalte ou tinta a óleo) depende do gosto pessoal e de fatores como o local de aplicação e o grau de proteção desejado. É preciso destacar que nem sempre a solução tecnicamente mais adequada será a que mais agrada ao cliente, do ponto de vista estético. Da mesma forma, uma escolha feita levando-se conta exclusivamente os aspectos estéticos poderá não trazer a solução para o problema existente.
Em termos de características e de efeitos estéticos, existem diferenças entre os três tipos de produto. Os stains colorem, são sempre foscos, não escondem o substrato e não formam filme sobre a madeira, conferindo um aspecto mais natural e rústico a ela. Já os vernizes podem ser usados, nas versões brilhante e acetinado, para dar um acabamento mais sofisticado, destacando o substrato. Diferentemente dos vernizes e stains, as tintas a óleo e os esmaltes escondem os veios da madeira e a colorem.

Para metais: Os produtos indicados são os esmaltes e a tinta a óleo, tanto para o interior quanto para o exterior dos imóveis.





DRFazTudo - Imagens: Internet